Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

POESIA & PROSA

POESIA & PROSA

16
Abr18

BOTÃO MÁGICO


BOTÃO MÁGICO.jpg

 

BOTÃO MÁGICO

 

Talvez seja demagogia,

Mas, queria tanto premir,

Num instante um dia,

Esse, mágico botão

Lançando o míssil da Paz!

Porém, para triste espanto

Concluo não ser capaz

Pelo menos por enquanto!

Impotente, falo de Amor

E só vejo, com olhos de ver,

Na” Besta” da luta, combater

Sangue inocente a correr…

Para alcançar um pódio,

Pelo poder do ódio!

Que faz a diplomacia?

Palavras deitadas ao vento

Que, não creio e só lamento.

É que em bom rigor,

O que resta de uma guerra,

Será miséria, morte e horror.

E da riqueza, ao morrer,

Tudo cá fica na Terra!

 

Raiz do Monte

16, Abril, 2018

07
Abr18

E AFINAL SER EU!


E AFINAL SER EU!.jpg

 

E AFINAL SER EU!

 

 

Às vezes,

Sinto-me Poeta!

Muito embora,

Todos os reveses,

Que a vida afeta…

É sentir-me real,

E sem vaidade

No presente, agora,

Ter ética, moral,

Soltar a sensibilidade,

E afinal ser eu!

O que nutro é meu…

Vem das entranhas

Seja mau ou bom…

São ideias estranhas,

Intuídas num “dom”!

É o meu mundo!

Pleno de emoções,

Desilusões e paixões

Por amar a vida.

Modéstia de explanações

Afirmação e inocência.

Na íntima reserva,

É tão só o meu olhar

Que vê e observa,

No recato da solidão,

O Poema a gerar…

Sem preocupações,

Sem peias ou cadeias.

Livre dos grilhões.

Singelo nas ideias.

Nasce, na dor de parir,

A chorar, a sorrir…

Cresce ganhando alma,

Prazer, caos e calma!

É a minha Poesia…

Retrato do interior,

Um toque de carinho,

E sobretudo muito amor,

Partilhados no caminho

Que falta percorrer.

Cada dia que se enceta

É um novo inicio a viver,

Tomar a pena, escrever.

Sentir no imo, ser “Poeta”.

 

Raiz do Monte

07, Abril, 2018

30
Mar18

O RETRATO AO LADO


O RETRATO AO LADO.jpg

 

O RETRATO AO LADO

 

Fico a olhar para ti…

Sorris, sorrio...

E o amor como o Sol,

Abre ma mais bela flor.

Olho o teu retrato

Sempre a meu lado

E aqui, apaixonado,

Sinto a força do Amor,

Do nosso Amor!

Sorris, sorrio

E inocentes,

Somos duas crianças.

Sonhando à luz das estrelas,

Desejos e esperanças.

És linda Amor!

Estás linda Amor!

No teu sorriso

Toda a minha vida!

 

 

Raiz do Monte

30, Março, 2018

05
Mar18

CINCO SONHOS


CINCO SONHOS.jpg

 

CINCO SONHOS

 

Confesso,

Sinto pena,

Desgosto profundo

Da míngua de sucesso,

Sentida e vivida!

Vi-os nascer.

E julguei ser

Pacífica e serena

Vê-los crescer!

Que fado,

Fardo pesado

Ficar pelo passado,

E amanhã…

Quando passarem

Ao lado e por mim…

Já não conhecer

O próprio “sangue”

E num olhar exangue

Não saber quem são!

Sabendo que de memória

Sempre habitaram

E não deixaram

O meu coração.

Cinco sonhos,

E Paixão!

Raiz do Monte

05, Março, 2018

23
Fev18

APRUMO


APRUMO.jpg

 

APRUMO

 

Reflito, penso

Há um rumo,

Sem rumo…

Um início

Uma estrada

E depois…

Acredito…

Uso bom senso,

Senso que

E sempre assumo.

Hábito, vício

Débil caminhada

Feita a dois,

Horizonte onde medito!

Encanta-me a natureza

Tudo o que é beleza,

Nesta cogitação…

Prendo o olhar,

E, se a vida deixar…

Até ao advento do fim,

No que restar de mim,

O Amor será a exaltação!

 

Raiz do Monte

 

16, Fevereiro, 2018

23
Fev18

SEI MEU IRMÃO


SEI MEU IRMÂO.jpg

SEI MEU IRMÃO

(Dedicado ao Meu Irmão António Duarte)

 

 

Sei bem meu irmão

Da tua infinita surpresa

Que tão feliz me fez!

Igual ventre nos uniu

E, além dessa razão,

Nem sabes da emoção

Ao escutar o teu, olá!

Todos os dias pensava

E sonhava, ouvir a tua voz

E todos os dias, ia adiando,

Sem reposta do até quando…

Sei bem meu irmão

E acredita na imensa tristeza

Que tanto magoou e feriu,

Sem saber porque sorte…

Provocou este afastamento…

Digo-te, razão, não há!

Tontices do meu sofrimento!

Mas sei que me deu alento.

Na fraternidade mais forte!

Sei bem meu irmão,

Que, pensavas em mim

E no desencanto bem real

De desconhecermos o fim

Porque podia acontecer

De um de nós, desparecer

E o outro o pudesse saber!

Agora, com toda a felicidade,

Te repito, digo e redigo,

Posso partir para a Eternidade,

Mas estarei sempre contigo!

 

 

Raiz do Monte

 

27, Janeiro, 2018

23
Fev18

SOBRE


Sobre.jpg

 

SOBRE

 

Medito sobre a vida,

Sobre o que já fui

E o que hoje sou…

Sei que cresci

Na justa medida

Que o tempo intui,

Opção por onde vou,

E o que vivi…

Mas, de que valeu,

Alisar a calçada?

Se o que aconteceu,

Ainda que, o assuma…

É ter uma mão cheia de nada…

E outra de coisa nenhuma!

 

Raiz do Monte

23 Fevereiro 2018

09
Jan18

PALAVRAS, PALAVRAS.


PALAVRAS, PALAVRAS (2).jpg

 

PALAVRAS, PALAVRAS.

 

 

Palavras cansadas,

Escolhidas, mordidas

Em pequenos nadas,

Amparo de puras sentidas…

Tantas vezes repetidas…

Palavras, ousadas

Num Poema de liberdade

Sem peias nem leis

Escritas, simples

Em humildes papeis

Para unir num abraço

Os que, em silêncio,

Aprenderam a sofrer.

Palavras, Palavras.

De todas as maneiras

Até mesmo cruzadas

Mas, que soltem as charadas

E signifiquem neste viver,

Tão só o que é a Verdade!

 

Raiz do Monte

 09, Janeiro, 2018

 

08
Jan18

TÃO SIMPLES


TÃO SIMPLES (2).jpg

 

TÃO SIMPLES

 

O amor,

A paz,

Um sorriso

Um abraço…

São do ser Humano!

São sentimentos.

Nesta vida que dura

Apenas momentos,

E em bom rigor,

Tudo o que se faz,

Tem o nosso traço

Claro e conciso,

Sem engano,

Sem desdém,

Pois amor e carinho,

São eterno caminho,

Para fazer sempre o Bem!

 

Raiz do Monte

08, Janeiro, 2018

06
Jan18

MAGIA DO POEMA


MAGIA DO POEMA (2).jpg

 

MAGIA DO POEMA

 

Sinto as palavras a nascer!

Paridas como os filhos,

Rasgam os ventres às mães,

Sinto os versos a escrever,

As rimas, os sons, a harmonia.

Compasso a compasso,

Tempo certo, a tempo

Sinto a vontade de os dizer

Mostrar a todos, ao Mundo

Para que não se possa esquecer,

Que sem Poesia é negro o viver.

Sinto que essa nascente,

Que vem bem cá de dentro,

É o tudo em que me concentro,

A inspiração desse além

Que, muito embora falado

Não é conhecido de ninguém!

Sinto, sinto vontade de cantar,

Tudo o que rodeia e vejo

Para saciar esse desejo

De falar do que encanta

Do que dói e que magoa

De referir todos os afetos,

Nos mais diversos aspetos

E sobretudo, dizer com rigor

Que, no passar de cada dia,

Toda, mas toda a Poesia,

Deve conter muito Amor!

 

Raiz do Monte

06, Janeiro, 2018

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Calendário

Abril 2018

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930

Comentários recentes

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

POESIA & PROSA

Em destaque no SAPO Blogs
pub